O GLACIAL TODO

.
.

O GLACIAL TODO, apresentação do trabalho

 

Aqui se apresenta uma digitalização de toda a colecção do suplemento “Glacial – a união das letras e das artes”, publicado pelo jornal “A União” de Angra do Heroísmo, de 15 de Julho de 1967 a 23 de Junho de 1973.

O suplemento em causa, trabalho exemplar ainda agora como no tempo em que surgiu, foi uma obra maior de Carlos Faria que envolveu e mobilizou grande número de amigos seus, galeria de valores e figuras marcantes da cultura de todas as latitudes e exemplo nobre de uma visão entusiástica e emancipadora do homem.

O conjunto das digitalizações aqui apresentadas são valiosa propriedade da Biblioteca Pública e Arquivo Regional de Angra do Heroísmo, a quem é dirigido daqui o nosso mais profundo reconhecimento pela sua cedência, e foram colocados à disposição do autor destas páginas pelo seu Director Dr. Marcolino Candeias, a quem igualmente manifestamos a maior gratidão e estima artística e pessoal.

Devido à sua significativa participação no próprio movimento “Gávea/Glacial”, é designado em vários pontos deste trabalho como “jovem poeta Marcolino Candeias”, em honra dessa valiosa colaboração e em consonância com a época em que teve lugar, sem desprimor pelas suas relevantes funções culturais ao serviço da referida Instituição, da Cultura dos Açores e do país a que pertence.


GLAC peq

Uma das mensagens fundadoras de “GLACIAL – a união das letras e das artes”, publicada por Carlos Faria no 4º número do suplemento de 23 de Dezembro de 1967


Depois de uma longa tarefa de tratamento gráfico, aqui se oferece a publicação completa de um monumento de intervenção cultural, universalista e pleno de generosidade: o suplemento “GLACIAL – a união das letras e das artes”, criado por Carlos Faria, publicado pelo jornal “A União” de Angra do Heroísmo.
Uso a palavra monumento porque um trabalho destes equivale a um templo, uma estátua, um vasto baixo-relevo ou colorido mural de uma cidade orgulhosa não de si, como concentração de poder, mas daqueles que nela vivem e se projectam no mundo como entidades capazes de sonho e de vida, de dádiva e de exemplo.


O Carlos Faria fica a dever esta graça a um amigo, ao poeta Marcolino Candeias, cujas palavras iremos ter também a ocasião de encontrar nestas páginas, como protagonista activo do “Movimento Gávea Glacial”.
Foi ele que nos enviou uma colecção de quase duzentos ficheiros com as digitalizações de todos os exemplares de “GLACIAL”, incluindo esse número as páginas complementares de fecho dos artigos maiores da página principal.

Esse conjunto já chegou à minha mão há certo tempo, mas não me foi possível de imediato tratar graficamente todo o conjunto que, embora sendo um notável trabalho de paciência de quem o fez, não se encontrava graficamente de modo muito sugestivo.
Outros afazeres pessoais impediram-me de efectuar este trabalho que é publicado agora, e que tanto prazer e proveito me deu visitar, ainda que de modo não absolutamente exaustivo, para tirar dele a totalidades dos valores em presença, que são imensos.

Passar por este mural olhando, ainda que brevemente, muitas das eloquentes cenografias de vida e variantes activas duma perspicaz concepção do Mundo que ali se desenvolvem, é um privilégio que fica ao alcance de todos: Um extraordinário elenco de nomes da cultura, independentemente da língua que falavam ou de qual o canto do mundo de onde vinham, posto que valesse a pena ouvir o que desejavam comunicar e quisessem dar as mãos a todos os que os acolhessem.
Esta era a “concepção Universal” que interessava ao espírito GÁVEA-GLACIAL, tão grande como o mar, o “mundo mais vasto deste mundo”.

QUALIDADE DO TRATAMENTO GRÁFICO:


Como explico noutro local, um trabalho destes deveria ser feito por um profissional em condições técnicas mais avançadas que aquelas de que disponho. Vem aí uma mesa digitalizadora com “creative pen and touch display” já “orçamentada”, coisitas dessas, enfim.
Por impossível que pareça tudo isto tem sido feito até aqui apenas à base do velho ratito!…
Fui melhorando entretanto ao longo da tarefa, à base de querer e de dedicação, e as últimas imagens que tratei estão bastante melhor que as primeiras.
Haveria que recomeçar tudo de novo, mas… não me é possível por ter outros compromissos. Ficará para uma segunda ronda, que muito gostaria de levar a cabo, de modo a salientar as imensas potencialidades artísticas e culturais deste ENORME GLACIAL!… Grande abraço, CARLOS FARIA!…

OS ATREVIMENTOS E IRREVERÊNCIAS SÃO TODAS POR CONTA DO CARLOS FARIA!…


Todos os exemplares do “GLACIAL” se encontram aqui e são perfeitamente legíveis, talvez melhor até que no suporte inicial em papel. É uma honra para o Carlos Faria, para o Rogério Silva e… para mim. Sempre por essa ordem, evidentemente.
Pessoalmente, como entendo esta tarefa, trata-se de um trabalho de efectiva cumplicidade, dado que vou “conversando” com esses dois amigos o tempo todo, avaliando soluções e empreendendo algumas originalidades.
Certos “atrevimentos” atribuo-os sempre à atitude irreverente e criativa das “sugestões” que recebo, principalmente, do Carlos Faria…

MODO DE PUBLICAÇÃO:


A volumetria dos ficheiros originais que compõem este trabalho e que me foram enviados de Angra do Heroísmo por Marcolino Candeias é enorme.
É inútil estar a explicar todas as manobras que tive de levar a cabo, bastando dizer que do primeiro ao último, os suplementos vão surgindo em notícias separadas, cujo título refere as datas de publicação. Nas “galerias” também é visível o número de ordem, sendo possível ao leitor chegar a um formato que possibilita a leitura em condições óptimas.
..

GUIA DE VISITA:


Entrando nas galerias, basta clicar na primeira imagem em cima à esquerda, para poder fazer desfilar num ecrã próprio, cada um dos suplementos. Em baixo à direita, há uma indicação “view full size” mediante a qual pode ter-se acesso, primeiro a uma visão única do documento e depois, com novo clique, ao formato mais pormenorizado que permite a leitura de todos os conteúdos com a máxima clareza.

IMPORTANTE: uma lista de todas publicações para se poder navegar entre elas

.

GLACIAL- 1967, os primeiros quatro númerosnúmeros 1 a 4

O GLACIAL – Janeiro a Abril de 1968 – números 5 a 10

O GLACIAL – Maio a Julho de 1968 – números 11 a 15

O GLACIAL – Setembro a Dezembro de 1968 – números 16 a 22

O GLACIAL – Janeiro a Abril de 1969 – números 23 a 28

O GLACIAL – Maio a Agosto de 1969 – números 29 a 34

O GLACIAL – Setembro a Dezembro de 1969 – números 35 a 42

O GLACIAL – Janeiro a Abril de 1970 – números 43 a 49

O GLACIAL – Maio a Dezembro de 1970 – números 50 a 59

O Glacial – Janeiro a Junho de 1971 – números 60 a 65

O Glacial – Junho a Novembro de 1971 – números 66 a 71

O Glacial – Janeiro a Maio de 1972 – números 72 a 76

O Glacial – Junho a Dezembro de 1972 – números 77 a 86

O Glacial – Janeiro a Março1973 – números 86 a 94

O Glacial – Março e Abril 1973 – números 95 a 99

O Glacial – Abril Maio 1973 – nº 100 a 108


 

.

.

.

.

.

.

.

.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s