"Prestígio Real" um filme dos anos 50 que adorava ver de novo, presente aos pedacinhos na internet…

.

.

A Internet reserva-nos as maiores surpresas e as mais inesperadas descobertas.
Das memórias cinematográficas dos primeiros anos da minha adolescência faz parte um filme indiano, produzido e realizado por Mehboob Khan que foi exibido em Portugal aí por 1956, mais coisa menos coisa.


O título Indiano é Aan (que quer dizer “orgulho”) o título inglês é “The savage Princess” e em português era intitulado “Prestígio Real”.
Numa entrevista de Fevereiro de 2007 diz-nos Fonseca e Costa que “…marcou uma geração com a opulência dos seus exóticos décors, o pendor desmesurado pelo melodrama romântico, onde a menina pobre casava sempre com o belo filho do marajá depois de vencidas contrariedades aparentemente intransponíveis, tudo acompanhado por canções e músicas de fazer chorar as pedrinhas da calçada…
(nesta película o caso não era bem esse, mas a diferença era apenas de simetria porque era o rapaz pobre que casava com a filha do marajá!…)
O filme foi um sucesso extraordinário e lembro-me ainda de muitas cenas que agora reencontrei, em toda a sua frescura e musicalidade, no YouTube!…
Recordo com a mais viva emoção uma das muitas canções do filme que, naqueles tempos recuados sem televisão (a rádio tenha apenas meia dúzia de frequências audíveis…), era repetida sem cessar pelos altifalantes da Feira de Março, em Leiria!…
Tinha por título: “Dil Mein Chupake Pyar Ka” e era interpretada por Mohammed Rafi.

Algum tempo depois começariam as desavenças entre Portugal e a União Indiana a respeito das crescentes pressões sobre Goa, Damão e Diu, que acabariam com a reocupação daqueles territórios pelas tropas indianas.
Não cabe aqui descrever uma infinidade de peripécias ligadas com esses factos que culminaram, entre outras coisas, com o fim da importação de filmes da India que viria a ser retomado apenas depois das transformações ocasionadas pelo 25 de Abril.

.

5 thoughts on “"Prestígio Real" um filme dos anos 50 que adorava ver de novo, presente aos pedacinhos na internet…

  1. fernanda s. monteiro

    POis eu também vi este filme em pequena e ainda hoje, já com muitos 68 anos de idade,falo nele, pois deixou-me uma vontade enorme de o rever. Mas como? Onde encontrá-lo? Como gostaria de o reviver à luz de outro pensar.Vim ter a esta sua página porque resolvi fazer uma busca sobre o filme,no google. Obrigada pela informação.

    Responder
  2. fernanda s. monteiro

    Reparo agora que diz ter vivido em Leiria onde resido desde 1947… Penso que sei quem seja, mas não me recordo bem de si. Mas creio também que temos um amigo comum, o Dr. Augusto Mota. Será?

    Responder
    1. CB Post author

      Cara barbie-o,

      Com muito atraso, agradeço a notificação.
      Pensando melhor no que digo acima, julgo talvez que não desejaria rever agora esse “Prestígio Real”.
      Fica muito melhor suspenso na memória frágil da primeira adolescência do que na renovação impossível do olhar da juventude.
      O que significa que esse olhar persiste, sublimado e insubstituível…
      Felicidades

      Responder

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s